Pesquisa Dentaria.com
  Artigos
  Educação e Formação
  Apoio Bibliográfico Gratuito
  Em@il Profissional
  Classificados
  Médicos Dentistas
  Congressos
  Especialidades
  imagens
  Jornais e Revistas
 
 
  1 de Outubro de 2022
  54 Utilizadores online
Utiliza o odontograma do software informático da sua clínica?
  Sim
  Não
   
O Dentaria.com lançou um Fórum aberto a toda a comunidade! Participe nos temas em discussão ou abra novos temas!
 
. Ordem dos Médicos Dentistas

. Tabela de Nomenclatura e Valores Relativos (Tabela de Honorários)

. Decreto de Lei que aprova o regime de licenciamento e de fiscalização das clínicas e dos consultórios dentários, como unidades privadas de saúde

. Simposium Terapêutico Online (MediMedia)



 

Publicidade

O Dentaria.com foi-lhe útil? Contribua com um DONATIVO!



Avaliação de algumas propriedades físico-químicas das soluções de hipoclorito de sódio


Publicado originalmente em: GUERISOLI, D.M.Z.; SILVA, R.S.; PÉCORA, J.D. Evaluation of some physico-chemical properties of different concentrations of sodium hypochlorite solutions. Braz. Endod. J. 3(2): 21-3, 1998.

Danilo Mathias Zanello Guerisoli
Bolsista FAPESP, Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.

Reginaldo Santana da Silva
Técnico em Química, Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.

Jesus Djalma Pécora
Professor Titular do Departamento de Odontologia Restauradora da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.

Departmento de Odontologia Restauradora
Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto
Universidade de São Paulo.
Av. do Café s/n
Ribeirão Preto, SP
14040-904


Sumário

Neste estudo foram avaliadas algumas propriedades físico-químicas (densidade, tensão superficial, pH, viscosidade, capacidade de umectação e condutividade) das soluções de hipoclorito de sódio nas concentrações de 0,5; 1,0; 2,5 e 5,0%. Os resultados indicaram que a densidade, o pH, viscosidade capacidade de umectação e condutividade das soluções são diretamente proporcionais às suas concentrações. Os valores de tensão superficial não mostraram diferenças estatísticas significantes entre as soluções.

Introdução

Desde sua introdução na Odontologia em 1917 por BARRET1, o hipoclorito de sódio (NaClO) provou ser uma solução irrigante dos canais radiculares bastante eficiente, devido às suas propriedades como desodorizante, bactericida e solvente de tecido (GROSSMAN e MAIMAN5, SHIH et al.12, BAUMGARTNER e CUENIN2). Apesar de existirem variações quanto à concentração preconizada, o princípio ativo continua sendo o mesmo (COHEN e BURNS3, DE DEUS4, LEONARDO and LEAL7).

Para eficiência máxima destas soluções, o shelf-life tem que ser observado, visto que a perda de cloro ativo é rápida (PÉCORA et al.8, PISKIN e TÜRKÜN10, JOHNSON e REMEIKIS6).

Sem dúvida, o hipoclorito de sódio é a solução irrigante mais utilizada na instrumentação de canais radiculares em todo o mundo. Devido à falta de informações sobre as propriedades destas soluções, neste estudo foram investigadas algumas propriedades físico-químicas (densidade, tensão superficial, pH, viscosidade, capacidade de umectação e condutividade) das soluções de hipoclorito de sódio nas concentrações de 0,5; 1,0; 2,5 e 5,0%.

Materiais e métodos

A concentração de cloro ativo das soluções de hipoclorito de sódio nas concentrações de 0,5; 1,0; 2,5 e 5,0% foram determinadas por titulação, método da iodometria.

A densidade das soluções foi obtida pela relação da massa pelo volume, com o uso de uma balança analítica (CG-Libror 3200 H) e uma proveta graduada (100 ml, Pyrex).

Para determinação da tensão superficial das soluções, um tensiômetro (Fischer Scientific, Surface Tensiomat 21, USA) foi utilizado.

O pH foi medido com um pH meter (Digimed, DMPH-2).

Os valores de viscosidade das soluções de hipoclorito de sódio foram obtidos através do viscosímetro de Ostwald, que se baseia no tempo de escoamento de um líquido contido em um bulbo através de um capilar, quando sujeito à força de seu próprio peso. O tempo de escoamento das soluções estudadas foi então comparado com um líquido de viscosidade conhecida (água), obtendo-se assim os seus valores de viscosidade. Dez repetições para cada solução foram realizadas.

A medida da capacidade de umectação foi feita através do método de Draves modificado por PÉCORA et al.9. Em um béquer de 250 ml eram colocados 200 ml do líquido a ser testado, sobrando um espaço de 2 cm da extremidade do béquer à superfície do líquido. Uma linha de algodão (Corrente, cor branca, 100% algodão) de tamanho padronizado (2 cm) era então largada da extremidade do béquer de modo que entrasse em contato com a superfície do líquido, sendo medido o tempo que este fio leva para ser totalmente umedecido e atingir o fundo do béquer. Foram realizadas 20 repetições para cada solução a fim de minimizar o erro.

Os valores de condutividade foram determinados através de um condutivímetro (Analion C-701).

Todos os experimentos foram realizados a 25 ºC.

Resultados

Os resultados obtidos estão expressos na Tabela 1.

Tabela 1: Valores médios das propriedades físico-químicas das soluções de hipoclorito de sódio nas concentrações estudadas.
 
Propriedade
Substância
NaClO 0,5%
NaClO 1,0%
NaClO 2,5%
NaClO 5,0%
Densidade (g/cm3)
1.00
1.04
1.06
1.09
Tensão superficial (dinas/cm)
74.3
75.0
75.7
73.8
pH
11.98
12.60
12.65
12.89
Viscosidade (centipoise)
0.956
0.986
1.073
1.110
Capacidade de umectação (tempo)
2 hrs. 20 min.
1 hrs. 27 min.
1 hrs. 23 min.
18 min.
Condutividade (miliSiemens)
26.0
65.5
88.0
127.5

A densidade das soluções variou de forma diretamente proporcional às suas concentrações. Os testes de regressão linear e correlação mostraram uma relação direta entre os resultados, com nível de correlação de 1,0%. O mesmo pode ser dito para a tensão superficial e pH.

A análise de variância aplicada aos resultados de viscosidade indicou diferenças estatísticas entre as soluções testadas (p < 0,01). O teste auxiliar de Tukey mostrou que, considerando-se apenas esta propriedade, as soluções de hipoclorito de sódio podem ser divididas em dois grupos: o primeiro, formado pelas soluções com concentração de 0,5 e 1,0%, apresenta menores valores de viscosidade. O segundo grupo, formado pelas soluções de NaClO 2,5 e 5,0% apresentam valores de viscosidade mais elevados.

Os valores de capacidade de umectação revelaram que os hipocloritos a 1,0% e 2,5% são estatisticamente semelhantes; o hipoclorito a 0,5% tem menor capacidade de molhar o fio de algodão enquanto o hipoclorito a 5,0% tem maior capacidade de umectação.

O teste de condutividade mostrou uma menor resistência à passagem de corrente elétrica conforme aumentava a concentração de hipoclorito de sódio.

Discussão

O aumento da densidade das soluções estudadas mostrou-se proporcional à concentração, devido à maior massa de NaOCl presente nas soluções mais concentrada

As soluções de hipoclorito de sódio nas concentrações estudadas apresentam valores de tensão superficial semelhantes entre si. Estes valores são semelhantes ao da água (72.73 dinas/cm, PÉCORA et al.9). Isto pode ser indesejável, visto que uma alta tensão superficial impediria o contato entre o líquido e a superfície.

As soluções de hipoclorito de sódio são alcalinas e quanto maior sua concentração, maior será o pH, uma vez que terá maior quantidade de moléculas de NaOH. O alto pH destas soluções não representa uma desvantagem, visto que sua ação está limitada à superfície do tecido (ROSENFELD et al.11, THÉ et al.13).

A viscosidade das soluções de NaClO aumentou com a concentração.

A capacidade de umectação das soluções estudadas mostrou-se dependente da concentração de NaOCl, em uma relação diretamente proporcional (quanto menor o tempo, maior a capacidade da substância umectar o fio de algodão).

A condutividade das soluções estudadas mostrou-se diretamente proporcional à concentração, o que pode ser explicado pela quantidade de íons livres no meio, maior em soluções mais concentradas.

Conclusões

Baseado na metodologia empregada e nos resultados obtidos, pode-se concluir que:
  • A densidade, a viscosidade e a tensão superficial das soluções de hipoclorito de sódio nas concentrações estudadas são similares aos valores encontrados para a água;
  • Densidade, pH, viscosidade, capacidade de umectação e condutividade são diretamente proporcionais à concentração de NaClO, o que não ocorre com a tensão superficial.

Agradecimentos

esta pesquisa foi patrocinada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

Referências

  1. BARRET MT: The Dakin-Carrel antiseptic solution. Dental Cosmos 59:04, 446-8, Apr. 1917.
  2. BAUMGARTNER JC, CUENIN PR: Efficacy of several concentrations of sodium hypochlorite for root canal irrigation. J Endod 18:12, 605-12, Dez. 1992.
  3. COHEN S, BURNS RC: Pathways of the pulp. St. Louis: CV MOSBY, 6th Ed, 1994.
  4. DE DEUS QD: Endodontia. Rio de Janeiro, Medsi, 5ª Ed., 1992.
  5. GROSSMAN LI, MAIMAN BW: Dissolution of pulp tissue by chemical agentes. J Amer Dent Ass 28: 223-5, Feb. 1941.
  6. JOHNSON BR, REMEIKIS NA: Effective shelf-life of prepared sodium hypochlorite solution. J Endod 19:1, 40-3, Jan. 1993.
  7. LEONARDO MR, LEAL JM: Endodontia: Tratamento dos canais radiculares. 2ª Ed. Médica Panamericana, São Paulo, 1991.
  8. PÉCORA JD, GUERISOLI DMZ, SILVA RS, VANSAN LP: Shelf-life of 5% sodium hypochlorite solutions. Braz Endod J 2(1), 1997.
  9. PÉCORA JD, MURGEL CAF, COSTA WF, CAPRIGLIONI M, VANSAN LP: Capacidade de umectação dos tensoativos (aniônicos, catiônicos e anfóteros). Teste "in vitro". Rev Bras Odont 45, 22-5, 1988.
  10. PISKIN B, TÜRKÜN M: Stability of various sodium hypochlorite solutions. J of Endod v.21, n.5, p. 253-5, May 1995.
  11. ROSENFELD EF, JAMES GA, BUNKNER SB: Vital pulp response to sodium hypochlorite. J Endodon v. 4 n. 5, 140-6, May 1978.
  12. SHIH M, MARSHALL JF, ROSEN S: The bactericidal efficiency of sodium hypochlorite as an endodontc irrigant. Oral Surg 29(4):613-9, Apr. 1970.
  13. THÉ SD, MALTHA JC, PLASSCHAERT AJ: Reactions of guinea pig subcutaneous connective tissue following exposure to sodium hypochlorite. Oral Surg Oral Med Oral Pathol, 49:5, 460-6, May 1980.



Dentaria.com © 1999 - 2002, Todos os direitos reservados.
Toda a informação apresentada é propriedade do Dentaria.com não podendo ser total ou
parcialmente reproduzida sem a devida autorização. Contacte a equipa Dentaria.com